segunda-feira, 29 de julho de 2013

Conhecendo um pouquinho da arte russa...

Acho que já comentei em outro post que adoro Hong Kong pela variedade de programas culturais que oferece aos moradores e visitantes, né? Aqui, quem quer vai encontrar coisas novas e interessantes para fazer todo dia, porque atividades culturais não faltam, de verdade! Até quem não quer gastar muito pode se dar ao luxo de fazer esse tipo de programa, já que alguns museus em Hong Kong reservam um dia da semana pra receber visitantes de forma gratuita.

Falando em atividades culturais, há alguns meses chegou em Hong Kong a exposição Fabergé, Legado da Rússia Imperial e eu, curiosa que sou, fiquei morrendo de vontade de ir lá dá uma olhadinha.
Os ovos de Páscoa de Fabergé foram sem dúvida o destaque da exibição, mas além deles foram trazidas também muitas outras obras de arte e peças raras, como jóias, metais preciosos, pedras e peças sacras. A exposição foi linda, totalizou mais de 270 itens que foram emprestados da coleção dos Museus do Kremlin de Moscou.
Eu já conhecia de perto alguns desses ovos, pois já os tinha visto em outra exposição em São Paulo e, apesar de ter achado a exposição daqui inferior à de Sampa, ainda assim achei que valeu a visita, pois os objetos exibidos são lindos e valem todo o tempo que se gasta para admirar cada um deles. 


Ovo de Páscoa de Fabergé


O Kremlin de Moscou/Ovo de Páscoa


Peter Carl Fabergé

Sobre o autor das peças eu pouco sabia a respeito, por isso acho que a exposição foi uma oportunidade pra conhecer também um pouquinho mais sobre ele. Peter Carl Fabergé foi um mestre joalheiro e ourives, uma figura muito importante na ascensão do artesanato de jóias no final do século 19. Embora a fama da Casa de Fabergé tenha desaparecido por um tempo após a eclosão da Revolução Russa, o seu renome mundial persistiu graças às obras fabulosas que produziu.
Dos inúmeros itens que Farbegé criou para a corte russa, os ovos imperiais de Páscoa são, sem dúvida, o que chama mais a atenção.



Casket Box



Transiberiano/Ovo de Páscoa


O nome Fabergé é geralmente associado aos ovos imperiais de Páscoa criados para a família real russa. E apesar de serem obras-primas da arte do joalheiro, esses ovos representaram apenas uma pequena parte da coleção do artista.
O sucesso de Fabergé veio de sua dedicação ao inovar e abrir a mente para combinar e abraçar o artesanato e as técnicas de diferentes formas e estilos artísticos. Além disso, ele estabeleceu uma base sólida para a indústria joalheira da Rússia no final do século 19 ao início do século 20, dando origem a um grande número de renomados artesãos e mestres de jóias.
Como a Páscoa é o feriado mais importante do calendário ortodoxo russo, a Casa de Fabergé começou a fazer ovos como presente para os nobres. Estima-se que entre 1885 e 1917 mais de cinquenta ovos de Páscoa foram criados para a família real. 
Alguns desses ovos desapareceram após a Revolução de 1917, e entre os quarenta e dois que permaneceram, dez deles são armazenados na câmara do arsenal do Kremlin de Moscou.
Na exibição em Hong Kong foram trazidos apenas quatro - poucos é bem verdade - mas de uma beleza sem igual.




2 comentários:

  1. Menina eu andava tentando lembrar o nome desses ovos e não me vinha na cabeça, hehe... Agora encontro aqui...
    Adoro a cultura russa, a história...
    Já lesse O Palácio de Inverno???
    É lindo!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Aliny, comecei a ler o Pálacio de Inverno no ano passado e por alguma razão abandonei. Eu tenho a mania de abandonar livros sem nenhuma razão aparente. Qualquer dia retomo!
    Bjokas

    ResponderExcluir